A Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), visando oportunizar mais espaço para comercialização artesanal com motivos históricos, lúdicos e dos produtos da floresta, instalou 30 barracas e uma tenda na Praça Veiga Cabral para prestigiar o aniversário de 256 anos de Macapá.

O diretor do Departamento de Comércio da Seicom, Hilton Serrão, informou que durante as comemorações, quando reúne centenas e até milhares de pessoas, sempre inclui na agenda a feira artesanal. “Convocamos os filiados e os não filiados, de Macapá e de outros municípios, para participar desta feira como forma de ampliar o espaço de exposição e comercialização desses produtos”, enfatizou.

A artesã Marcilene Pacheco, natural do Afuá (PA), mas também mora em Macapá, disse que sempre participa da feira neste governo. No outro não tinha essa oportunidade e agora vem em todas.

“Tenho o Projeto Artesanato Brilho de Sol Marajoara lá no Afuá e ministro cursos também em Macapá como forma de incentivar os jovens, adolescentes, senhoras desempregadas e da melhor idade para fortalecer a renda familiar e desenvolver o talento natural pelo artesanato. Quem precisar de meus serviços para ministrar esses cursos, pode ligar para 9171-4255 que venho fazer o projeto, reunir as pessoas e realizar cursos. Só peço o material que será utilizado”, informou Marcilene.

Outra artesã, Ana Brito, há anos na profissão e há seis anos em Macapá, disse que agora o governo vem incentivando essa prática saudável de unir a arte com possibilidade de trabalho e renda.

“Sou de Macapá e morei muitos anos em São Paulo. E trago vários técnicas que pretendo repassar para quem estiver interessada ou em vulnerabilidade social. Tenho um ateliê onde produzo boneca de pano, tapeçaria, bolsas, adorno calçados e também ministro cursos. O telefone para contato é 9184-4493 e já formei várias mocinhas e senhoras, que largaram o tanque para se tornar artesãs”, se felicita.

Jorgeana da Costa Guimarães participa de três feiras e se classifica como artesã da manualidade produzindo brindes para aniversários de adultos e infantis, além de reproduzir personagens dos quadrinhos e da TV, como os heróis, Batman, Super Homem e outros de desenhos animados.

“O pessoal sempre me chama para enfeitar as festas de aniversários ou eventos que têm motivos ou um tema específico. Eu faço de pano, papel, madeira e outros materiais de acordo com o pedido. E aqui na feira estou vendendo bem e agradeço à Seicom e ao Governo do Estado por essa oportunidade”, disse.

Ana Maria da Silva Ferreira participa da feira há três anos, também é outra artesã que produz cortina com os produtos da floresta, bonecos de pano, fantoche, tapeçaria e todos os trabalhos de costura em geral.

“Estou feliz por estar aqui e pelo governo nos proporcionar essa oportunidade de expor e vender o nosso trabalho”, agradeceu.

O secretário da Seicom, José Reinaldo Picanço, também foi conhecer os produtos extraídos da floresta transformados em brincos, pulseiras, cordões e outros objetos ornamentais.